"Caetano me dedicou uma e tive depois de tanto tempo pudor. É como se ele me vestisse depois de tanto tempo nua..."
Lygia Clark

 


Obra de Lygia Clark é tema de palestra no Museu da Pampulha


O professor Felipe Scovino, da Escola de Belas-Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), ministra nesta quarta-feira, dia 10, às 10h, no Museu de Arte da Pampulha, a palestra Lygia Clark, em que abordará conceitos da artista, nascida em Belo Horizonte, desde suas primeiras experiências nos anos 1950 até os seus trabalhos envolvendo o corpo como objeto de memória e de percepção do mundo. Ele também discutirá os aspectos artísticos, conceituais e teóricos que se tornaram meios de diálogo com a obra de Clark.

A atividade é organizada pelo projeto Portal Lygia Clark, que objetiva disseminar a obra e o pensamento da artista, com apoio da UFMG e do próprio Museu da Pampulha, localizado na Avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585.

O professor Scovino é um especialista na obra de Lygia Clark. Sua dissertação de mestrado, defendida em 2003, focaliza a série Bichos, de autoria da artista. Trata-se de um conjunto de esculturas metálicas articuláveis que favorece a participação do observador, o que fez de Lygia Clark uma das pioneiras da chamada arte participativa.