"De um a dois, a três ou a mais mas, sempre uma coisa sai da outra e é uma comunicação extremamente intimista de poro a poro, de pelo a pelo, de suor a suor."
Lygia Clark

 


Lygia Clark no Pavilhão Brasileiro na 55 ª Bienal de Veneza Inside / Outside



Lygia Clark no Pavilhão Brasileiro na 55 ª Bienal de Veneza
Inside / Outside

Pavilhão Brasileiro
1 junho - 24 novembro 2013


Obra- Mole (1964) da artista brasileira Lygia Clark , Côncavo / Convexo (1947) do artista italiano Bruno Munari e Unidade Tripartida (1948 -49) do suiço Max Bill foram exibidas dentro do Pavilhão do Brasil na 55 ª Bienal de Veneza deste ano.

"Nós (a equipe curatorial) acreditamos que os artistas devem ser escolhidos para que eles forneçam uma contribuição para a compreensão da arte contemporânea brasileira", afirmou o curador Luis Pérez-Oramas, o que implica que, em seu ponto de vista, as obras de Fervenza e Mlászho, justa postos com os de Bill, Clark, e Munari irão ajudar a valorizar a riqueza artística do Brasil. O curador uniu os trabalhos destes artistas contemporâneos do passado que responderam a fita de Möbius, uma forma geométrica, com apenas uma superfície, e que é visualizada como uma forma de fita torcida.

O Inside / Outside portanto, colidem para apoiar arte e o pensamento contemporâneo, uma e outra vez encarnando uma das mais fortes narrativas brasileiras modernas: o de uma cultura constituída por uma metabolização criativa e incessante do Outro.


Comissário Luis Terepins, presidente da Fundação Bienal de São Paulo

Curadores Luis Pérez-Oramas / André Severo