"Agora é o corpo mesmo pois elas são enormes e mais parecem trombas de elefantes ou grandes papos de aves. É o mesmo problema do abismal…"
Lygia Clark

 


UMA® / LYGIA CLARK Primavera/Verão 13/14 coleção


Todo processo aconteceu em contato com o trabalho de Lygia Clark, sua vontade de aproximação com o espectador e o intuito de criar um vínculo com a vida me levaram a pesquisar sua trajetória “atemporal” e inovadora. Acredito que este conceito foi o grande fio condutor que me fez encontrar em Lygia uma grande fonte de inspiração. Como afirmou Lygia: ‘Se a pessoa, depois de fazer essa série de coisas que eu dou, se ela consegue viver mais livre, usar o corpo de uma maneira mais sensual, se expressar melhor, amar melhor, comer melhor, isso no fundo me interessa muito mais como resultado do que a própria coisa em si que proponho a vocês.’ Cf. O Mundo de Lygia Clark,1973, filme dirigido por Eduardo Clark, PLUG Produções

Atualmente seu reconhecimento é mundial, suas obras estarão na 55a Bienal de Veneza, entre outras exposições e galerias pelo mundo. Na passarela estaremos com uma réplica de “A casa é o Corpo”, uma instalação criada em 1968, fase em que Lygia Clark passa a dedicar-se à exploração sensorial. Esta obra permite a passagem das pessoas por seu interior, para que elas tenham a sensação de penetração, ovulação, germinação e expulsão do ser vivo.

Já a série “Bichos” (1960/1964), que são construções metálicas geométricas que se articulam por meio de dobradiças e requerem a co-participação do espectador, está presente em nossa coleção em uma estamparia digital.

Nesta coleção, a silhueta é alongada e minimal com uma alfaiataria leve e esportiva. O look é marcado por sobreposições, em que vestidos são usados sobre calças ou saias, e linhas ultrapassam os limites convencionais, o que nos remete às obras “Planos em Superficies Moduladas” e “Espaços Modulados”, de Lygia Clark.

No que diz respeito à paleta de cores, temos uma combinação de tons suaves e lavados, além de aquosos com cítricos, branco, off white, azul cristal, carbono e preto.

Atendendo a um desejo de Lygia, a Clark Art Center e a Associação “O mundo de Lygia Clark” disponibiliza esculturas da série Bichos em polipropileno, o que torna a arte de Lygia acessível e reverte fundos a comunidades carentes do Rio de Janeiro. No desfile apresentamos estas réplicas como adornos de cabeça.

Alguns tecidos foram especialmente desenvolvidos, como a sarja dublada com tule, que cria um efeito sombreado, e o neoprene picotado a laser, que simula uma tela. Outros materiais como triacetato, algodão, seda estampada, crepe de seda, acetato stretch e chiffon também fazem parte desta coleção. Entre as peças da coleção temos: vestidos lânguidos, camisas amplas e transparentes, saias recortados a laser, calças com sobressaia e tops que transmitem uma atmosfera esportiva de luxo.

Como acessórios temos sandálias em couro e plástico cristal, dando transparência e leveza aos looks.

A coleção Lygia será um marco para a história da UMA, pois sua atitude incorpora acima de tudo, um exercício para vida.


Raquel Davidowicz